Tarde de Acrobacias – Lisbon Busking Festival 2017

A tarde espraiava-se solarenga, nas esplanadas do Largo do Intendente sentia-se o prazer do “dolce far niente”, apenas interrompido aqui e ali por sirenes de ambulâncias e clamor de trânsito que logo acabava por se dissipar no meio das conversas de café e carinhosas repreensões as crianças mais brincalhonas.

Rui Cruz o mágico acompanhado do seu estojo de guitarra fez a sua aparição no palco improvisado a que se chamou Helena Azevedo, um pouco antes da hora marcada para início do espetáculo.

Ninguém a vista, Rui teve de usar as suas habilidades de persuasão e dialética recheada de bom humor e magia para atrair a assistência que ia aparecendo e ia ficando. A pequenada ficou magnetizada com os balões e a risada. As moedas do mago apareciam do nada, baralhando e confundindo o que os olhos viam, predispondo os espectadores para a onda de galhofa que se instalou naquele local e se manteve durante toda a tarde.

Visivelmente satisfeita a criançada gritava, saltava para agarrar os balões que logo se evaporavam no ar, isto quando não rebentavam com grande estrondo mesmo na mão do traquina.

Rapidamente chegou a hora de mudar de palco (Vasco Santana), era como se uma porta se abrisse e fechasse, lá estava Litlle Testa. a apregoar o seu Show acompanhado da baboushka, a musica saltitante que enchia por completo o recinto, dizia que não entendia português mas falava-o com um sotaque incriebile, um misto de argentino e espanhol temperado com uma pitada de sabor nacional. Incriebile.

Seguiram-se os restantes artistas anunciados em cartaz todos com uma qualidade invejável mesmo para os mais consagrados.

Risos, crianças, alegria e adultos bem enturmados com a pequenada de tudo se viveu naquele largo e tanta foi a diversão que questionado o publico só afirmava

-Queremos mais.

Ver Artigo Completo

2017-10-02T19:32:04+00:00